Tenho Dito!

Dez coisas que você não sabe sobre o YouTube


O Youtube vai transmitir ao vivo o casamento do príncipe William e Kate Middleton nesta sexta, 29 de abril, direto de Londres. A cobertura será a prova de fogo da nova investida da plataforma de vídeos do Google: as transmissões em tempo real, que agora contam com um canal exclusivo, o YouTube Live.

Com isso, o Google lança sua estratégia para frente às TVs aberta e paga. A empresa vai investir 100 milhões de dólares na criação de conteúdo próprio, com foco em produções de baixo orçamento. Foi o que revelou este mês o Wall Street Journal. A intenção é tomar uma fatia importante da audiência dos canais de TV e, claro, os anunciantes: até hoje, o site de vídeos mais visto do mundo vive no prejuízo.

Veja abaixo dez curiosidades sobre o Youtube. As informações são da Revista Veja.

1. Programa para 1.700 anos

Assistir a todos os vídeos já postados no site levaria 1700 anos. Hoje, segundo dados do YouTube, a cada minuto são enviadas 35 horas de vídeos, o que equivale a 15.000 filmes na íntegra por semana. Com tanta produção, não espanta que muitos vídeos passem despercebidos. Ou quase. Já há um serviço especializado em filtrar os arquivos de audiência nula. Trata-se do blog Zero Views, dedicado a chamar a atenção para os vídeos que ninguém viu (em geral por boas razões). É o caso desse vídeo acima, de um garoto que estoura bexigas… e só. Mais de 50 mil pessoas já viram essas imagens.

2. Elas só pensam em maquiagem

Dez coisas que você não sabe sobre o Youtube
As mulheres são apenas 30% da audiência do YouTube no Brasil e preferem vídeos sobre maquiagem, dicas de beleza e truques usados por celebridades, conforme pesquisa do site. Na categoria termos mais pesquisados, destacam-se os jovens cantores Luan Santana e Paula Fernandes.

3. Por uns dólares a mais

Dez coisas que você não sabe sobre o Youtube

Em 2006, o Google desembolsou 1,6 bilhão de dólares pelo YouTube. Em 2009, o então CEO Eric Schmidt admitiu que pagou 1 bilhão de dólares a mais do que o site realmente valia para afastar da disputa os rivais Microsoft e Yahoo. E ainda por cima esvaziou seu próprio projeto de vídeo, o Google Vídeo, que chegou a superar o Youtube em certos recursos, como a possibilidade de disponibilizar conteúdos com duração acima de cinco minutos. No mês que vem, o Google Vídeo terá finalmente suas atividades encerradas.

4. O primeiro milhão

O primeiro vídeo que recebeu um milhão de visualizações foi o de Ronaldinho Gaúcho, hoje no Flamengo. No vídeo de 2005, o meia acerta o travessão quatro vezes seguidas, sem deixar a bola cair, durante treino do seu ex-clube, o Barcelona, da Espanha. O lance inacreditável rendeu intermináveis discussões na internet, até que se provou o óbvio: era uma montagem, um bem-sucedido viral a serviço de uma marca esportiva.

5. Bieber TV

Bem mais impactante que o sucesso de Ronaldinho, porém, foi o do astro teen Justin Bieber, que continua a reinar no YouTube. O clipe de ‘Baby’ é até hoje o vídeo mais visto nos seis anos do site, com mais de 520 milhões de visualizações, seguido de Lady Gaga e seu ‘Bad Romance‘ (mais de 370 milhões de visualizações). O terceiro vídeo mais visto é um filme caseiro, o singelo ‘Charlie bit my finger‘ (308 milhões de visualizações), que se resume a um bebê mordendo o dedo do irmão.

6. YouTube 3D

Dez coisas que você não sabe sobre o Youtube

O YouTube reúne uma série de aplicações que permitem produzir, mixar e editar vídeos. Há ferramentas para fazer pequenos ajustes e incluir trilha sonora, criar animações sem a necessidade de desenhar, transformar em vídeo uma coleção de fotos, mapas e áudios e até produzir conteúdo em formato 3D.

7. Do YouTube para as passarelas

Dez coisas que você não sabe sobre o Youtube
Aos 34 anos, Chad Hurley ostenta uma das maiores fortunas da internet. Ao lado do amigo Steve Chan, ele fundou o YouTube em 2005 e no ano seguinte amealhou 300 milhões de dólares, de um total de 1,6 bilhão desembolsado pelo Google. Depois de deixar o comando da plataforma de vídeos, Chad decidiu abraçar o mundo da moda e criou sua própria grife, a Hlaska. Mas o Vale do Silício suspeita que Hurley esteja ensaiando seu retorno. O empresário é casado com a filha de James Clark, o fundador da Netscape Communications. Comenta-se que Chad e Chan estão trabalhando em uma nova startup para a indexação de vídeos.

8. No vermelho
Dez coisas que você não sabe sobre o Youtube
O YouTube é campeão de audiência em todos os mercados que atua, mas até hoje só dá prejuízo: 1,6 milhão de dólares por dia, estimam analistas. Em 2010, a plataforma encontrou pela primeira vez um concorrente: o emergente Hulu, que tem participação dos canais americanos NBC e Fox. Segundo dados divulgados em março, o YouTube recebeu 143 milhões de visitas únicas no país, enquanto o Hulu obteve “apenas” 27 milhões. Mas quando comparado o tempo que o usuário gasta com cada serviço, o Hulu chega perto: 215 minutos contra 275 do YouTube. E, ao contrário do YouTube, o Hulu tem se mostrado um serviço lucrativo. Em 2010, sua receita pulou de 108 milhões de dólares para 240 milhões de dólares.

9. Sob vigilância

Dez coisas que você não sabe sobre o Youtube
O YouTube está presente em 25 países e disponível em 43 idiomas. É o terceiro site mais acessado em todo o planeta, atrás da empresa-mãe Google e do Facebook. Por dia, mais de 4 milhões de pessoas compartilham pelo menos um link nas redes sociais. Uma mensagem propagada no Twitter, por exemplo, resulta automaticamente em uma média de seis novas sessões no site. Por seu sucesso, a rede está sempre na mira das ditaduras: já foi proibido na China, Irã, Líbia, Tunísia e Turcomenistão. E foi suspenso no Brasil: em 2007, o serviço parou por uma decisão da Justiça favorável à apresentadora Daniela Cicarelli, por causa de um vídeo picante estrelado ao lado do então namorado Renato Malzoni Filho.

10. Olheiros

Dez coisas que você não sabe sobre o Youtube
O Google mantém uma equipe de olheiros que monitora produções com mais de 500.000 visualizações. Conforme a audiência, o YouTube oferece ao produtor a venda da espaços de propaganda. O modelo de negócio será agora turbinado. O Google decidiu investir 100 milhões de dólares, segundo o Wall Street Journal, com o objetivo de concorrer com os canais de TV, paga ou aberta. O investimento vai abastecer a grade de pelo menos 20 novos canais, cujo formato o YouTube ainda desenha. O foco da programação serão produções independentes de baixo orçamento.





Gostou? Curtiu? Compartilhe!

Divulgue no Orkut